Virgil Griffith, é um funcionário da Ethereum Foundation, e foi preso por divulgar informações e experiências sobre criptomoedas, em uma conferência na Coréia do Norte.

A Procuradoria do Distrito Sul de Nova York anunciou sexta-feira que Griffith foi preso no Aeroporto Internacional de Los Angeles no Dia de Ação de Graças.

Griffith já havia recebido orientações para não participar de eventos, na Coréia do Norte, pois a mesma é a adversaria dos Estados Unidos, mas mesmo assim, Griffith participou do evento, onde ensinou o público a fazer uso da tecnologia blockchain para evitar sanções.

Virgil Griffith
Virgil Griffith

O assistente de procuradoria geral de segurança nacional, John Demers comentou que Griffith, foi denunciado por violações da Lei Internacional de Poderes Econômicos de Emergência. E Griffith foi intimado a comparecer ao um tribunal em Los Angeles.

Conferência de Blockchain e Criptomoeda de Pyongyang foi realizada em abril, pela República Popular Democrática da Coréia (DPRK), também conhecida como Coréia do Norte. Segundo a denúncia, Griffith, pediu autorização para participar da conferência, mas foi negada a ele. Então ele viajou por conta própria para a conferência sem permissão de seus superiores.

Um agente especial do FBI chamado Brandon M. Cavanaugh, fez a denúncia contra Griffith. Cavanaugh havia entrevistado o acusado em maio de 2019. Durante a entrevista, Griffith mostrou as fotos que tirou no evento, e afirmou que gostaria de voltar à conferência no próximo ano.

Griffith comentou sobre sua ida a Coréia do Norte

A denúncia afirma: ” Griffith participou ativamente na Conferência de Criptomoeda da RPDC, GRIFFITH e outros participantes discutiram como a tecnologia blockchain e criptomoeda poderia ajudar a RPDC, a lavar dinheiro e evitar sanções, e como a RPDC poderia usar essas tecnologias para obter independência do sistema bancário global. ”

Em sua página no LinkedIn, Griffith diz que trabalhou na Ethereum Foundation desde outubro de 2016, no cargo de chefe de projetos especiais. Atualmente, sua página no LinkedIn, Griffith afirma morar em Cingapura. Recentemente, ele tem trabalhado para certificar o Ethereum em compatibilidade com a lei islâmica.

O caso do ex-funcionário da Ethereum Foundation, está sendo tratado pela Unidade Internacional de Terrorismo e Narcóticos do Distrito Sul, com assistência da Seção de Contra-Inteligência e Controle de Exportação.

Leia Mais: Alemanha cria lei que permite que os bancos comercializem criptomoedas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui