Hoje nós temos um universo com centenas de ativos digitais diferentes que são negociados no mercado, muitos como uma velocidade ainda maior do que do bitcoin, então isso significa um risco ainda maior, e quando tivemos a euforia do ano passado se duvida que muita gente entrou naquela onda de vou ganhar um dinheiro rápido.

E viu o  vizinho que dobrou seu dinheiro em algumas semanas, então vou comprar também na esperança de ganhar também, mas a pessoa acaba entrando sem conhecimento, sem saber qual é o risco e depois que veio à correção no mercado no começo do ano de 2018 realmente muita gente se machucou e isso é lamentável para as pessoas porque faltou conhecimento e acabou entrando sem conhecer e sem entender do que se tratava.

E por conta disso teve muitas pessoas com má fé também se aproveitando da ingenuidade das pessoas em relação ao bitcoin, esse é outro ponto que é muito importante porque por ser um mercado ainda pouco conhecido, sem dúvida que já atraiu muitos golpistas a esquemas de pirâmide de ponzi que utiliza o nome de bitcoin e das criptomoedas para atrair investimentos em algo que é um esquema claro.

As pessoas caiam infelizmente também é preciso saber que sim existe o bitcoin que é um ativo genuíno é volátil, mas também tem os seus golpes que acabam utilizando o nome de criptomoeda para atrair suas vítimas. Isso também é importante frisar porque teve muito, e ainda.

O Bitcoin no cenário Brasileiro

Podemos falar um pouco a título de Brasil, de como o país enxerga essa evolução do bitcoin como ativo financeiro nas operações e da própria visão do banco central brasileiro com relação as criptomoedas. Vale ressaltar que isso é um processo de aprendizado mais longo. O banco central quando olha apenas da ótica de criptomoeda ou ativo financeiro eles têm muito mais receio e sempre vem a público com tom de alerta e cautela, e não é de se esperar nada diferente pois os bancos sempre tomam posturas mais conservadoras.

No ano de 2017 já teve um esclarecimento um comunicado do banco central em conjunto com a CVM em Novembro com alguns pontos esclarecedores que foram importantes, embora o tom tenha sido negativo, mas trouxe alguns esclarecimentos, mas a outra parte que é importante também é que por ser uma tecnologia e ser uma rede de transferência de valores ela acabou dando vazão a outras aplicações que vão além de um ativo digital de um sistema de transferência de um ativo digital, então a gente vê por exemplo o mercado de capitais  e o mercado financeiro olhando para a tecnologia já testando ela para aplicações do tipo de negociação e registro de outros ativos que não se fazem de derivativos financeiros, por exemplo a própria emissão de ações ou títulos de dívida em blockchain, registrados em blockchain, ou  até mesmo criados em blockchain.

Adesão da blockchain está crescendo

Isso já é uma realidade, já tem alguns países que estão fazendo isso, então essas operações já estão sendo vistas como absolutamente seguras, e ao contrário do que uma simples operação com criptomoeda.

Pois você está usando uma nova tecnologia mas aí é uma tecnologia que pode vir a ser concorrente aos sistemas tradicionais que têm hoje, por exemplo a própria bolsa de valores, por que você traz uma inovação para a negociação de ativos, registro e custódia de ativos que até hoje não tinha nada parecido, nada tinha surgido então é claro que começou com uma criptomoeda, com um ativo digital.

Mas tudo isso tem repercussões que vão além dessa simples aplicação única, e que pode acabar puxando outros setores do mercado financeiro e a gente vê também a CVM muito atenta a tudo isso acontecendo, porque realmente pode impactar vários players não apenas um ativo digital, não apenas uma nova forma de investimento, mas até talvez a infraestrutura do mercado financeiro.

As Criptomoedas a longo prazo

Falar em um risco sistêmico quando a gente olha para essa semente que é o bitcoin, as criptomoedas é difícil imaginar uma criptomoeda como o bitcoin tendo um uso massificado em poucos anos. Isso é difícil de acontecer, pois primeiramente a tecnologia tem que ser mais testada, tem que ser aprimorada e tem de ser mais resiliente e segura.

A própria usabilidade hoje não é tão fácil assim, as próprias carteiras digitais que é o passo até que sempre recomendamos é quem olha como investimento, e quer guardar seu bitcoin por conta própria o que é possível como guardar o ouro no cofre em casa.

Tem que saber usar uma carteira digital, tem que fazer o backup das senhas isso tem uma curva de aprendizado que é importantíssimo. E não pode correr o risco de perder, a gente viu vários casos de pessoas que perdeu sua senha e não tem como acessar mais seus bitcoins.

Por isso devemos sempre ficar atentos tanto a tecnologia, quando como vamos lidar com essa nova tecnologia que envolve o bitcoin.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui